Mulher do provedor contratada como administradora

Auditoria identificou irregularidades que podiam levar ao corte dos subsídios atribuidos à instituição. Consequências são desconhecidas. Inquérito sobre a contratação da mulher do provedor foi arquivado pelo Ministério Público graças a um acórdão do STJ.

Foto
Câmara de Idanha-a-Nova

O Núcleo de Fiscalização do Instituto da Segurança Social detectou numerosas irregularidades no funcionamento da Misericórdia de Idanha-a-Nova, pelo que propôs, em Maio de 2018, a “avaliação da manutenção dos acordos de cooperação” celebrados com a instituição — acordos esses que prevêem a atribuição anual dos subsídios de cerca de 1,2 milhões de euros que financiam a sua actividade.

Sugerir correcção
Ler 2 comentários