Aumentos salariais? “Não podemos acrescentar um motor interno à inflação”

O novo ministro das Finanças faz um aviso sobre aumentos salariais, tanto no público como no privado: é preciso evitar uma escalada inflacionista. Sobre aumentos em 2023, remete para as negociações habituais, sem se comprometer em reflectir a inflação de 4% projectada.

i-video

Na sua estreia como ministro das Finanças no dia da entrega do Orçamento do Estado, Fernando Medina destaca as novas medidas para combater os efeitos da guerra na Ucrânia e afasta que se trate de um orçamento austero. Sobre a inflação de 4% que prevê no documento, sublinha que “a taxa de inflação é uma média. As pessoas não estão todas sujeitas à mesma pressão sobre os preços. As respostas que damos são respostas sólidas relativamente a públicos mais vulneráveis”.

Sugerir correcção
Ler 10 comentários