“Terrorismo”, atirou-se

Para já, somente com os comunicados oficiais e o que tem passado para os media, uma resposta final não pode ser dada, mas tudo indica que, nesta fase – repito –, o enquadramento jurídico do MP e da juíza de instrução terá sido o mais correcto.

Um jovem de 18 anos preparava-se, alegadamente, para matar indiscriminadamente quem se encontrasse na Faculdade de Ciências de Lisboa (FCUL) num certo dia em que sabia existir mais gente, por coincidir com exames. A indiciação foi pelos crimes de terrorismo na forma tentada e de detenção de várias armas proibidas, de entre as quais a moldura mais grave oscila entre dois e oito anos de prisão.

Sugerir correcção
Ler 9 comentários