A luta desigual de Márki-Zay, o primeiro candidato com hipótese de derrotar Orbán na Hungria

A oposição uniu-se para travar o crescente iliberalismo do Governo. Os desafios vão desde conseguir ter anúncios eleitorais em placards até ao medo que muitos apoiantes têm de fazer campanha porta-a-porta.

Foto
Péter Marki-Zay, candidato da oposição unida contra o primeiro-ministro húngaro Viktor Orbán MARTON MONUS/Reuters

Péter Márki-Zay acredita na hipótese de derrotar o primeiro-ministro húngaro, Viktor Orbán, nas eleições de 3 de Abril. Acredita nisto apesar de saber que é uma luta difícil e sobretudo desigual, como contou numa entrevista online com jornalistas estrangeiros em que o PÚBLICO participou.

Sugerir correcção
Ler 25 comentários