Alegre critica “herdeiros de Trotsky e Lenine”, diz-se magoado e lembra que 25 de Abril não se fez para Chega ser poder

O histórico socialista juntou-se à campanha para elogiar António Costa e expressar a sua mágoa pelo fim do acordo entre as esquerdas. Agora, diz, o combate é contra a direita que está a abrir caminho à extrema-direita.

eleicoes-legislativas-2022,politica,antonio-costa,lisboa,ps,
Fotogaleria
Daniel rocha
eleicoes-legislativas-2022,politica,antonio-costa,lisboa,ps,
Fotogaleria
Daniel Rocha
eleicoes-legislativas-2022,politica,antonio-costa,lisboa,ps,
Fotogaleria
Daniel Rocha

O Pavilhão Carlos Lopes, em Lisboa, recebeu esta quinta-feira Manuel Alegre, o histórico socialista e ex-candidato presidencial, deu um empurrão ao PS para dizer que foi “sem surpresa”, mas “magoado” que viu o fim da geringonça com “os votos do BE e do PCP colados à direita e à extrema-direita” no chumbo de “um orçamento progressista” que abriu a crise política. Além de António Costa, o penúltimo comício socialista teve ainda as intervenções do primeiro-ministro e líder dos socialistas, Pedro Sánchez (via gravação de vídeo), o presidente da Federação da Área Urbana de Lisboa (FAUL) do PS, Duarte Cordeiro e o líder da Juventude Socialista (JS) Miguel Costa Matos.

Sugerir correcção
Ler 5 comentários