Robert Durst (1943-2022), o milionário assassino que fascinava a América

Só foi condenado por matar uma amiga, mas tê-lo-á feito por receio de que esta contasse que ele tinha matado a mulher, duas décadas antes, um crime nunca resolvido. E foi absolvido de matar e desmembrar um homem.

Foto
Etienne Laurent -Pool/Getty Images

Se há vidas que davam um filme, a de Robert Durst não só inspirou um filme como uma série documental que o transformaram num daqueles monstros de que não se consegue afastar o olhar. O milionário norte-americano morreu aos 78 anos a 10 de Janeiro, depois de complicações causadas pela covid-19 num hospital prisional na Califórnia, onde cumpria pena perpétua pelo homicídio da sua amiga Susan Berman em 2000.

Sugerir correcção
Ler 2 comentários