Crónica da conquista do Velho Mundo

Como teria sido o mundo se os incas tivessem conquistado a Europa?, pergunta Laurent Binet neste seu inteligente e excessivo exercício literário de “História alternativa”.

Foto
Para além de fugir ao formalismo dos velhos modelos literários, há em Binet uma forte marca de provocação

O geógrafo norte-americano Jared Diamond, teorizou no seu livro Armas, Germes e Aço (Temas e Debates, 2015) sobre o colapso das civilizações antigas, e sobre quais foram os factores que levaram a que algumas sociedades perdurassem e outras não; refere ele que aos povos ameríndios faltaram três condições para terem resistido aos conquistadores: a domesticação dos cavalos, o conhecimento da arte de forjar do ferro e a imunidade às novas doenças trazidas pelos que chegavam do outro lado do mar. O escritor francês Laurent Binet (n. 1972) partiu desta ideia para escrever Civilizações — um inteligente, excessivo e desafiante exercício literário de “História alternativa”, uma espécie de extravagante Crónica da Conquista do Velho Mundo.

Sugerir correcção
Ler 1 comentários