Pop-ups, maior foco no campo, sustentabilidade e chefs nos supermercados: o que reserva a gastronomia para 2022?

Num ano em que ainda não estaremos totalmente livres da pandemia, o novo normal para a restauração deve ser ainda repleto de transformações e incertezas: mesmo assim, tentamos espreitar o que está por vir.

Foto
O menu do The Little Red Door apresenta os rostos de alguns dos produtores com quem trabalham Roman Jehanno

Quando estávamos a gozar alguma sensação de normalidade, com os restaurantes já sem restrições depois de meses e meses de distanciamentos e capacidades limitadas, uma nova variante do SARS-CoV-2 veio na recta final do ano de 2021 para tirar qualquer tentativa de riso do nosso rosto. Covid-19 strikes back, o novo capítulo — que indica que ainda vamos precisar de um bocado mais de resiliência e capacidade de adaptação para um 2022 que se inicia. O sector da restauração, coitado, já precisou de se reinventar muito nos últimos meses: muitos negócios adoptaram o delivery e o take-away, transformaram os seus conceitos e houve até quem passasse a vender hambúrgueres para manter a equipa em quadro completo.

Sugerir correcção
Comentar