Agostinho Branquinho e Marco António Costa podiam movimentar conta de off-shore com sede no Panamá

Saldo bancário terá chegado a quase 900 mil euros, diz Ministério Público no recurso do processo de licenciamento de hospital em Valongo. Actual administrador de hospital da Santa Casa investigado por fraude fiscal e branqueamento diz que nada fez de ilegal. Marco António Costa afirma que não se lembra de tal conta.

Foto
Agostinho Branquinho na tomada de posse enquanto Secretário de Estado da Segurança Social no Governo de Passos Coelho Rui Gaudêncio

O antigo deputado do PSD Agostinho Branquinho foi beneficiário de uma conta bancária na Suíça, aberta em 2012, que chegou a reunir quase 900 mil euros. O dinheiro terá chegado aí vindo de uma outra conta que estava no nome de uma sociedade offshore, criada em Junho de 2004, que tinha sede no Panamá e era detida por Branquinho e que, o seu amigo e também ex-deputado, Marco António Costa estava autorizado a movimentar. Quem o diz é o Ministério Público no recurso que contesta a absolvição dos dez arguidos acusados no processo de licenciamento de um hospital em Valongo.

Sugerir correcção
Comentar