Há predadores de crianças À Solta na Internet e este documentário apanhou muitos

À Solta na Internet coloca três actrizes adultas a passarem por raparigas de 12 anos. Resultado: foram abordadas por 2458 homens e só um não as assediou. Um “filme extremamente importante”, diz ao PÚBLICO o realizador Vít Klusák, e que já resultou em 52 investigações criminais. Especialistas em adolescência e cibercrime comentam e aconselham.

Foto
À Solta na Internet coloca três actrizes adultas a passarem por raparigas de 12 anos Milan Jaroš/Hypermarket Film

Uma rapariga de 12 anos, um computador, uma ligação à Internet. O resultado deste cenário tão comum é uma porta escancarada para um mundo que, muitas vezes, se revela diferente do idealizado pelos mais jovens, acabados de sair dos anos da inocência infantil. Foi sabendo disso, e depois de uma experiência com um perfil falso para criar uma curta-metragem a alertar para os perigos que se escondem online, que o realizador Vít Klusák chamou Barbora Chalupová para, em conjunto, mostrarem de forma crua a realidade vivida por milhares de crianças e adolescentes nas redes na República Checa, mas que é um fiel retrato do que se passa por todo o mundo, Portugal incluído.

Sugerir correcção
Ler 1 comentários