Migrações: a pressa de atravessar o Canal da Mancha enquanto não se transforma em fosso

Número de pessoas que chegaram por mar ao Reino Unido já duplicou em relação a 2020. Lei do Governo britânico que “criminaliza” entradas ilegais no país deve entrar em vigor em 2022.

Foto
Migrantes recolhidos pela polícia fronteiriça birtânica no Canal da Mancha PETER NICHOLLS/Reuters

Durante as últimas duas semanas, a igreja de Saint-Pierre, em Calais, no Norte de França, transformou-se num local de protesto. Philippe Demesteere, um padre jesuíta de 72 anos, entrou em greve de fome, em desacordo com o tratamento das autoridades policiais às mais de mil pessoas que aguardam em acampamentos improvisados, e em condições deploráveis, por uma oportunidade para cruzarem o Canal da Mancha e pedirem asilo no Reino Unido.

Sugerir correcção
Ler 1 comentários