José Maria Neves eleito à primeira volta em Cabo Verde

Candidato de centro-esquerda foi eleito novo Presidente da República de Cabo Verde. Pediu união nos esforços de resposta à crise que o país atravessa na sequência da pandemia da covid-19.

mundo,eleicoes,cabo-verde,cplp,africa,
Fotogaleria
José Maria Neves prometeu “dialogar com todos” e pediu união de esforços no seu discurso de vitória ELTON MONTEIRO/Lusa
mundo,eleicoes,cabo-verde,cplp,africa,
Fotogaleria
José Maria Neves segue na frente com 51,5% dos votos LUSA/ELTON MONTEIRO

O candidato apoiado pelo Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV), José Maria Neves, foi eleito neste domingo como quinto presidente da República de Cabo Verde, sucedendo a Jorge Carlos Fonseca, que cumpriu o seu segundo e último mandato.

Quando faltavam apurar 3% das mesas eleitorais, o candidato de centro-esquerda José Maria Neves segue na frente com 51,5% dos votos, reunindo a preferência de mais de 93 mil eleitores. 

No discurso de vitória, José Maria Neves prometeu dialogar com todos” e pediu união de esforços, segundo a agência Lusa.

Foto

O candidato vencedor afirmou que é preciso que todos os órgãos de soberania, cidadãos e sociedade civil dêem as mãos, face aos desafios que Cabo Verde tem pela frente, nomeadamente a forte crise económica decorrente da pandemia de covid-19. “Trata-se de uma enorme responsabilidade presidir à nação cabo-verdiana nestes tempos e recebo essa vitória com a grande humildade que sempre me caracterizou”, disse, segundo a agência Lusa.

Nestas eleições a principal dúvida estava entre dois antigos primeiros-ministros: José Maria Neves, do PAICV, e Carlos Veiga, apoiado pelos “ventoinhas do Movimento para a Democracia (MpD) e pela União Cabo-verdiana Independente e Democrática (UCID).

Os dois partidos alternaram sempre no poder, com Neves e Veiga a terem sido antes chefes de Governo, um durante 15 anos, e outro durante dez anos.

Primeiro perdedor é o Governo

Cerca de metade dos eleitores inscritos votou, numas eleições com sete candidatos. Carlos Veiga reuniu 42,6% dos votos e reconheceu a derrota publicamente num discurso feito ao final da noite na Cidade da Praia. Terminadas as eleições, é agora o tempo de todos, sem excepção, unirmos esforços na promoção do bem do país e da recuperação dos rendimentos das famílias. É tempo de interiorizarmos a convicção que a nossa história não depende de um, não depende de alguns, mas sim de todos nós, declarou Veiga, citado pela Lusa.

O primeiro perdedor é claramente o Governo de Cabo Verde e o primeiro-ministro também, disse pelo seu lado o presidente interino do partido do candidato vencedor, Rui Semedo. O Governo por ter parado de governar e o primeiro-ministro também por ter admitido isso, por se ter envolvido na campanha e por ter feito uma preferência clara como o fez, que o Presidente da República melhor para Cabo Verde seria o candidato da sua preferência, afirmou Rui Semedo, citado pela agência Lusa.

 Rui Semedo afirmou que neste acto eleitoral ganhou a democracia e os cabo-verdianos, por terem resolvido a eleição na primeira volta, com menos custos económicos e sanitários.

O primeiro-ministro português, António Costa, utilizou o Twitter para felicitar a vitória do candidato de centro-esquerda, “em mais uma demonstração da estabilidade e força da democracia cabo-verdiana”.

Também o chefe de Estado português, Marcelo Rebelo de Sousa, felicitou José Maria Neves, manifestando-se certo de que se manterão excelentes relações bilaterais.

José Maria Neves, de 61 anos, já foi autarca, mas a sua principal experiência política foi o exercício do cargo de primeiro-ministro de Cabo Verde entre 2001 e 2016.

As eleições presidenciais foram também marcadas, uma vez mais, pelas polémicas relacionadas com as denúncias de compras de votos.