Fisco passa a traçar “plano oficioso” de pagamento de dívidas a prestações

Famílias com maiores dificuldades financeiras poderão regularizar as dívidas de cobrança coerciva durante cinco anos.

Foto
A AT, dirigida por Helena Borges, proporá planos de regularização que podem ir até 36 prestações mensais Enric Vives-Rubio

Quando instaurar um processo de execução para cobrar dívidas mais pequenas, a administração tributária vai passar a apresentar aos contribuintes um “plano oficioso de pagamento da dívida em prestações” durante três anos, no máximo.