Portugal confirma que está disponível para acolher “várias centenas” de refugiados afegãos

Ministros da UE protelam discussão sobre quotas para o acolhimento e a redistribuição de refugiados. Eduardo Cabrita informou os parceiros europeus das condições de Portugal para receber populações vulneráveis: mulheres e crianças, jornalistas, magistrados e activistas dos direitos humanos perseguidos pelos taliban.

Foto
O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita ANTONIO PEDRO SANTOS/LUSA

O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, confirmou aos seus parceiros europeus que Portugal está disponível para acolher de imediato “várias centenas” de refugiados vindos do Afeganistão, com prioridade para os grupos que a União Europeia designou como os mais vulneráveis: mulheres e crianças, activistas dos direitos humanos, jornalistas e magistradas e juristas, que correm um risco acrescido com o retorno dos taliban ao poder naquele país.