A dança dos sucessores. Como sair de cena a jogar xadrez

Marta Temido é o último nome lançado por Costa para o xadrez dos sucessores. Mas, para já, só há um candidato: Pedro Nuno Santos que, desta vez, ficou calado, mas isso também é todo um programa.

ana-catarina-mendes,pedro-nuno-santos,fernando-medina,politica,antonio-costa,ps,
Fotogaleria
Encerramento do congresso Rui Gaudêncio
ana-catarina-mendes,pedro-nuno-santos,fernando-medina,politica,antonio-costa,ps,
Fotogaleria
Mariana Vieira da Silva e Pedro Nuno Santos Rui Gaudencio
ana-catarina-mendes,pedro-nuno-santos,fernando-medina,politica,antonio-costa,ps,
Fotogaleria
Fernando Medina e Ana Catarina Mendes Rui Gaudêncio

Há 50 maneiras de deixar um amor e bastante menos de abandonar a liderança de um grande partido e do Governo: uma humilhante derrota eleitoral (Sócrates em 2011); uma fuga para a Comissão Europeia dois anos depois da eleição (Durão Barroso em 2004), com a exigência concomitante de nomear o sucessor no Governo; sair do PSD mas não do Governo, com olhos postos em futuros voos, condicionando o sucessor no partido (Cavaco Silva vs. Fernando Nogueira, 1995); sair da liderança do partido mas também da liderança do Governo Regional dos Açores, deixando os militantes decidir sem interferir na sucessão (Mota Amaral, 1995, a quem sucedeu o seu principal opositor, Álvaro Dâmaso).