Guiados pela razão? Ou pelo cansaço e a ilusão?

A decisão da DGS de recomendar a vacinação universal de adolescentes entre 12 e 15 anos é um momento muito triste na história da autoridade de saúde nacional, cujas consequências são imprevisíveis.

É compreensível que as respostas a uma pandemia desta dimensão, causada por um vírus novo causando uma doença nova, se pautem por avanços e retrocessos no percurso de aquisição do conhecimento científico que permite orientar as melhores decisões. São exemplos as recomendações iniciais, com base em resultados cientificamente pobres, de não utilizar corticosteroides e de usar antivíricos. Os primeiros vieram a mostrar-se muito úteis nalgumas situações e os segundos acabaram por não demonstrar o benefício esperado num estudo em larga escala promovido pela OMS.

Sugerir correcção
Ler 63 comentários