Vamos falar de emoções?

Está provado que as crianças que entendem o que estão a sentir e sabem como o transmitir, têm menos probabilidade de fazer birras ou responder agressivamente para se exprimirem.

Foto
Tanaphong Toochinda/Unsplash

Como se sente ao falar das suas emoções? Consegue identificá-las e transmiti-las facilmente? Ou é algo desafiante para si? Sentimentos e emoções são complicados e quanto mais adultos ficamos, mais complexos. Talvez por serem tão abstractos, pode ser muito difícil identificá-los e transmiti-los de uma forma equilibrada.

Se isto é assim para um adulto, imagine para uma criança! Muitos pensam que é algo inato e que a aprendizagem se faz ao longo da vida, porém, quanto mais cedo ajudar o seu filho a entender e a expressar o que está a sentir, mais fácil será para ele no futuro. Os estudos mostram que as crianças que compreendem as suas emoções tornam-se mentalmente mais fortes e adultos mais confiantes, por saberem que serão capazes de lidar com o que a vida lhes apresentar.

Está provado também que as crianças que entendem o que estão a sentir e sabem como o transmitir, têm menos probabilidade de fazer birras ou responder agressivamente para se exprimirem. Por exemplo, uma criança que sabe que o seu amiguinho na escola vai ficar triste se ele o empurrar, provavelmente não o fará à toa.

Por isso é tão importante ensinar os mais novos sobre as emoções. Ao fazê-lo, os pais estimulam o desenvolvimento da inteligência emocional, reduzindo assim os maus comportamentos. Além disso, há outra questão muito importante: ao ensinar sobre as emoções, está também a normalizar essas emoções e sentimentos, o que vai fazer com que a possível ansiedade da criança decresça. Veja do seguinte modo: emoções intensas são um aspecto universal da natureza humana, mas, para uma criança pequena podem ser assustadoras. Abrir espaço e validar essas emoções faz com que a sua criança as aceite melhor e lide com elas abertamente, o que reduz muito os níveis de stress e ansiedade.

Como o fazer na prática?

Dê nome às emoções
Ensine ao seu bebé/criança pequena as emoções básicas: felicidade, medo, raiva, tristeza e nojo. Para crianças mais velhas, pode ensinar algumas mais complexas: frustração, desapontamento, tranquilidade, etc.. Uma maneira incrível de ajudar os mais pequenos a compreenderem os estados emocionais, é falar sobre as emoções que os outros estão a sentir no momento. Por exemplo, quando estão a ver um filme, pode ir perguntando: “O que achas que a menina está a sentir?”

Ensine estratégias concretas para lidar com as emoções
Quando o seu filho está com muita raiva e prestes a começar a bater ou a atirar objectos, ensine-o a parar um momento e ir até ao quarto acalmar-se; ou respirar profundamente três vezes. Ensine-o como lidar quando, por exemplo, um outro menino não quiser brincar com ele.

Utilize filmes e livros, se necessário
Reforce o modo como o seu filho deve lidar com as emoções dele e dos outros, buscando exemplos nas suas personagens e histórias favoritas. Mostrando exemplos mais concretos, pode ajudá-lo a trazer para a realidade e a compreender melhor.

Reforço positivo
Quando a criança consegue lidar bem com alguma emoção, deve dizer-lhe isso mesmo. Por exemplo: “Eu sei que estavas muito irritado com a tua irmã por ter estragado o teu brinquedo e gostei muito de como lhe explicaste o que estavas a sentir.”.

Dar o exemplo
O último e mais importante ponto: as crianças aprendem muito mais através do que observam, em vez do que lhes é dito. Como tal, se quer que o seu filho saiba lidar com as emoções, deve mostrar-lhe com o seu próprio exemplo. De nada adianta ensinar tudo o que foi referido, se cada vez que se irrita no trânsito grita com o carro da frente, ou se quando está triste, simplesmente diz ao seu filho para deixá-lo sossegado e ir brincar. Deve explicar o que está a sentir e, mesmo quando perde a cabeça, explicar que não fez bem, mas que vai reagir melhor da próxima vez.

Não somos perfeitos e, tal como o seu filho não espera isso de si, também não deve exigir o mesmo dele. Aprender a lidar com as emoções e sentimentos é um trabalho diário e constante. Mas garanto-lhe que quanto mais cedo é posto em prática, mais resultados positivos terá posteriormente.

Ser capaz de interpretar como alguém está a sentir-se pela expressão facial é um atributo valioso e uma excelente habilidade social! Experimente fazer em casa esta actividade para ajudar o seu filho a transmitir as suas emoções.