Demasiado cedo para a história?

Quem se quer orgulhar do papel do primeiro Otelo tem de estar preparado para admitir vergonha com o papel — por ação ou, pelo menos, por omissão — do segundo Otelo.

Quando morre alguém com um peso desproporcionado e contraditório na história, é comum dizer-se que “a história o julgará” ou que “ainda é cedo” para se fazer a história do seu papel.