Covid-19. Portugal com 20 mortes (o valor mais alto desde Março) e 3396 casos. Há mais de quatro mil recuperados

Mais de quatro mil pessoas foram dadas como recuperadas em 24 horas. Há menos 20 internados nos hospitais portugueses. Média semanal de óbitos sobe desde o fim de Maio.

Foto
Matosinhos Paulo Pimenta

Portugal registou, nesta sexta-feira, 20 mortes por covid-19, o valor diário mais alto de vítimas mortais desde 17 de Março. O número semanal de mortes relacionadas com a doença tem vindo a aumentar consecutivamente desde a última semana completa de Maio, altura em que foram registados seis óbitos. Entre 3 e 9 de Julho, por exemplo, foram 36, valor que subiu na semana seguinte para 51 e, entre o passado sábado e esta sexta-feira para 85.

Foram ainda contabilizados 3396 casos de infecção nesta sexta-feira, uma descida em relação aos números registados nos três dias anteriores. Desde o início da pandemia, o país soma, no total, 950.434 casos confirmados e 17.284 vítimas mortais. Os dados, referentes à totalidade do dia de sexta-feira, foram divulgados neste sábado pela Direcção-Geral da Saúde (DGS).

Segundo o boletim, existem 835 pessoas internadas nos hospitais portugueses (menos 20 do que no balanço anterior) e 181 nos cuidados intensivos (mais três).

Há ainda mais 4128 cidadãos recuperados da infecção, num total de 880.368 recuperações desde o início da pandemia. Feitas as contas, há menos 752 casos activos, o que significa que 52.782 portugueses ainda lidam com a doença.

Lisboa e Vale do Tejo e Norte com 75% dos novos casos

O Norte e Lisboa e Vale do Tejo registam, nesta sexta-feira, números muito semelhantes de novas infecções: o Norte contabilizou 1286 novos casos (37,8%) e Lisboa e Vale do Tejo 1280 novas infecções (37,6%).

Lisboa e Vale do Tejo é a região com o maior número de casos acumulados e de mortes: há 371.891 casos confirmados e 7375 óbitos (dez em vinte e quatro horas). O Norte é a segunda: são 368.640 os registos de infecção e 5401 mortes por covid-19 — mais sete em relação ao boletim anterior. O Centro contabiliza 128.081 infecções (302 novas) e 3034 mortes (uma em 24 horas). O Alentejo totaliza 33.025 casos (151 novos) e 980 mortes (mais uma). No Algarve, há 31.253 casos de infecção (mais 276) e 384 óbitos (mais um). A Madeira regista 10.412 casos de infecção (29 novos) e 70 mortes. Já os Açores somam 7132 casos (mais 72) e 35 mortes.

Os dados do relatório da DGS indicam que, do total de mortes registadas, 9069 são homens e 8215 são mulheres. Das 17.284 pessoas que morreram até à data de covid-19 em Portugal, 11.314 tinham acima de 80 anos, o que corresponde a 65,4%. Das 20 mortes contabilizadas esta sexta-feira, 13 foram registadas em pessoas acima dos 80 anos, seis em cidadãos entre os 70 e os 79 anos e uma num homem entre os 50 e os 59 anos.

Os valores da matriz de risco que guia o desconfinamento são iguais aos do dia anterior, uma vez que só são actualizados nos boletins de segunda, quarta e sexta-feira. Segundo os últimos dados, o índice de transmissibilidade da doença – designado por R(t) –, situa-se nos 1,07 tanto a nível nacional como em Portugal continental. Em relação à incidência, há agora 418,3 casos de infecção por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias em Portugal, valor que sobe para os 430,8 no território continental.

O número de concelhos acima do limite de incidência de 120 casos por 100 mil habitantes voltou a aumentar desde a semana passada. Entre a passada e esta sexta-feira, altura em que a Direcção-Geral da Saúde fez a última actualização deste indicador, o número de municípios acima do limite estabelecido pelo Governo passou de 175 para 213, um aumento de 22%. Quer isto dizer que quase 70% dos 308 concelhos do país (69,1%) se encontram agora acima do nível de risco.