Fortes chuvas provocaram pelo menos 138 mortos na Índia

Cheias e deslizamento de terras no estado de Maaarastra já deixaram mais de 80 mil pessoas sem tecto.

,Chuva
Fotogaleria
NIHARIKA KULKARNI/Reuters
moncao,mundo,meteorologia,india,asia,catastrofes-naturais,
Fotogaleria
DIVYAKANT SOLANKI/EPA
moncao,mundo,meteorologia,india,asia,catastrofes-naturais,
Fotogaleria
NATIONAL DISASTER RESPONSE FORCE/HANDOUT/EPA
moncao,mundo,meteorologia,india,asia,catastrofes-naturais,
Fotogaleria
INDIAN NAVY HANDOUT/EPA
moncao,mundo,meteorologia,india,asia,catastrofes-naturais,
Fotogaleria
DIVYAKANT SOLANKI/EPA
Fotogaleria
NATIONAL DISASTER RESPONSE FORCE/HANDOUT/EPA

As chuvas torrenciais no estado de Maarastra, no Ocidente da Índia, provocaram inundações e deslizamentos de terra que mataram pelo menos 138 pessoas e obrigaram 90 mil pessoas a serem retiradas da zona evacuada.

Segundo o último balanço das autoridades índias, anunciado este sábado pelo ministro da Ajuda e Reabilitação estadual, Vijay Wadettiwar, em declarações ao canal de televisão NDTV.

“Já registamos a morte de 138 pessoas em Maarastra devido à chuva e a outros incidentes relacionados com a monção”, declarou o ministro.

Segundo o canal de televisão, a região de Konkan é o mais afectado, com milhares de pessoas presas pelas inundações, enquanto as autoridades enviaram helicópteros para retirar as pessoas encurraladas em Raigad, a 70 km de Bombaim.

Os números oficiais apontam para 84.452 pessoas retiradas, incluindo mais de 40 mil no distrito de Kolhapur, e levadas para lugar seguro em Pune, no Maarastra Ocidental. Pelo menos 54 aldeias ficaram completamente submersas pelas inundações.

As mortes estão concentradas no Maarastra, incluindo na capital, Bombaim. Entre os mortos, 47 perderam a vida em Raigad, de acordo com um responsável local da protecção civil, Sagar Pathak. Só em Taliye, 36 pessoas pereceram quando um deslizamento de terras enterrou a localidade.

As autoridades pediram às pessoas presas pela subida das águas que vão para os telhados ou zonas altas para que as equipas de resgate as possam localizar para as retirar.