“Brincar cria auto-estradas no cérebro”

Brincar não é nenhuma brincadeira, sobretudo quando se trata do impacte que tem no desenvolvimento do cérebro nos primeiros anos de vida.

Foto
O ritmo dessas sinapses nos bebés “está muito associado às experiências que se tem” Unsplash/Alexander Dummer

Até aos três anos, o desenvolvimento cerebral é mais rápido do que em qualquer outra altura da vida: passa de ter um tamanho de cerca de 25% do cérebro de um adulto, a média observada no nascimento, para ostentar uma dimensão de 80%. “O ritmo das sinapses é alucinante, há mais de um milhão de sinapses por segundo”, confirma, a propósito do Dia Mundial do Cérebro, que se assinala esta quinta-feira,​ Raquel Corval, investigadora do laboratório colaborativo ProChild CoLAB, parceiro da Fundação Nossa Senhora do Bom Sucesso, que pôs em marcha a campanha Primeiros Anos a Nossa Prioridade.