D. Sebastião regressa à fachada do Rossio

Réplica da estátua destruída em 2016 foi colocada esta quarta-feira na estação. A original, já restaurada, aguarda uma redoma de vidro.

Foto
A estátua nova no seu nicho Infra-Estruturas de Portugal

D. Sebastião regressou esta quarta-feira à fachada da estação do Rossio, em Lisboa, na forma de réplica da estátua que foi destruída em 2016. Executada pelo escultor Pedro Lino em quatro meses, a nova estátua do monarca é de calcário branco semi-rijo e, no futuro, terá a companhia da escultura malfadada, que ficará no interior do edifício protegida por uma redoma.

Em 2016, um homem empoleirou-se na estátua do rei desventurado para fazer-se fotografar junto dela, mas derrubou-a, partindo-a em 90 fragmentos. O arguido confessou em tribunal ter destruído a estátua, mas foi absolvido. O restauro da peça foi um processo delicado conduzido por Bruna Oliveira, da empresa de conservação e restauro Água de Cal, em Agosto do ano passado.

Esculpida em 1891 por Gabriel Farail, a estátua regressou ao Rossio nessa data, mas mantém-se longe do olhar público até agora. A Infra-Estruturas de Portugal (IP), que gere a estação, informa que a estrutura de vidro projectada para a acolher “aguarda a apreciação da Direcção-Geral do Património Cultural”. ​

Notícia corrigida e actualizada: ao contrário da informação inicialmente publicada, a estátua agora colocada no Rossio é a réplica e não a original.