Ramalho desafiado a tirar consequências da censura à sua gestão

Primeiro relatório do inquérito ao Novo Banco calcula em 11 mil milhões de euros injecções públicas. Relator defende que resolução do BES foi a solução possível em 2014, mas arrasa gestão: merece “crítica” e “censura”.

Foto
LUSA/MÁRIO CRUZ

A comissão parlamentar de inquérito ao Novo Banco tinha como objectivo avaliar as perdas registadas pelo banco e imputadas ao Fundo de Resolução (FdR), mas, na apresentação do relatório preliminar, o autor do documento atirou directamente à gestão de António Ramalho.