A vida, modo de usar

Polémicas literárias, julgamentos críticos ou académicos à parte, Mário Cesariny foi e será para sempre uma cabeça livre, daquelas que os assassinos de Michaux de A Extracção das Cabeças retirariam decerto um prazer danado em arrancar.

Eu realmente dera por ele às voltas com a fotocopiadora, põe folha, tira folha, caixote do lixo com elas após observado com atenção o resultado. Por fim deve ter conseguido o que queria, uma vez que ao ronco sincopado da máquina sucedeu o silêncio. Só mais tarde me inteirei do plano. Um plano simples e solitário, farpa carregada de ironia que teria feito sorrir Billy Wilder.