Hyundai Ioniq 5, um SUV eléctrico para quebrar recordes

A marca sul-coreana tem vindo a dar cartas na mobilidade eléctrica. Agora, surge com um SUV com o qual, em cidade, garante uma autonomia de quase 700 quilómetros.

ciencia-tecnologia,automoveis,motores-teste,fugas,motores,energia,
Fotogaleria
ciencia-tecnologia,automoveis,motores-teste,fugas,motores,energia,
Fotogaleria
ciencia-tecnologia,automoveis,motores-teste,fugas,motores,energia,
Fotogaleria

Se há uns anos alguém dissesse que um carro eléctrico viria a ser capaz de cumprir quase 700 quilómetros de autonomia, muito provavelmente seria alvo de uma enorme galhofa — por esses dias, havia até quem vaticinasse que as baterias de iões de lítio nunca viriam a ser a norma nos automóveis movidos a electricidade.

Mas, se há sector em que o que é hoje já não é amanhã, é o do automóvel. E, pressionados pela obrigatoriedade de reduzir as emissões a todo o custo — pelo bem do planeta, mas também das finanças das empresas —, os construtores de automóveis aceleraram no desenvolvimento de soluções eléctricas, focando-se num dos maiores problemas que este tipo de automóvel teve durante muito tempo: as parcas autonomias, que apenas serviam para gerar ansiedade em quem os utilizava.

Hoje, já não é o caso, e a larga maioria das propostas eléctricas permitem a um condutor médio europeu (que, dizem os estudos, cumpre cerca de 40 km/dia) circular a semana inteira sem qualquer tipo de nervosismo. Mas ainda há os que querem marcar pela diferença, como a Hyundai que se prepara para começar a entregar nos concessionários nacionais o Hyundai Ioniq 5, carro 100% eléctrico, que se apresenta com uma configuração de SUV, e permite percorrer 692 quilómetros sem o ligar à corrente uma única vez. Isto, com uma condução muito racional e em cidade, onde a velocidade mais reduzida e o pára arranca habitual ajuda a esticar a capacidade da bateria; em circuito misto, o emblema sul-coreano aponta para uma autonomia de 481 quilómetros — valores homologados pelos testes de ciclo WLTP, realizados em laboratórios independentes e certificados.

Para conseguir um alcance tão generoso, o Ioniq 5 chega equipado com uma bateria de 72,6 kWh, que, graças à tecnologia de 800 V, consegue repor de 10 a 80% em 18 minutos. E não se pense que vem com a potência cortada: há o equivalente a 217cv para explorar, com o mercado nacional a receber apenas a variante de tracção traseira. Depois, fica do lado do condutor de que forma quererá utilizar o meio de transporte, tendo à sua disposição três diferentes modos de condução: Eco, Normal e Sport.

A nível visual, a Hyundai não se poupou a esforços para fazer diferente, e, se ao mesmo tempo apresenta um SUV quase minimalista, consegue apresentar um carro extremamente estruturado, graças a linhas vincadas que marcam o seu perfil, enquanto à frente a presença do carro é desenhada pelos faróis LED com 256 píxeis cúbicos, sistema de iluminação que se volta a encontrar na traseira.

Por dentro, dá cartas um habitáculo extremamente espaçoso, fruto de recorrer à nova Plataforma Modular Global-Eléctrica (E-GMP) do grupo, que permitiu reinventar a configuração interior do automóvel. À frente, o condutor beneficia de um ecrã táctil de 12,3’’, com Bluelink e sistema de navegação, que se conjuga com o painel de instrumentos digital de 12,3’’ e com um head-up display com realidade aumentada, além de os bancos serem completamente reclináveis. Atrás, há a possibilidade de usar a consola central, deslizante, como uma mesa. Em termos de capacidade de transportar bagagem, a mala oferece uma volumetria útil de 584 litros.

O Hyundai Ioniq 5 chegará ao longo deste mês de Julho, mas a marca ainda aceita pré-encomendas até 31 por um valor de campanha de 50.990€, que não inclui pintura metalizada (520€) nem despesas de legalização e transporte (1227,47€, no continente). A garantia é de sete anos sem limite de quilómetros, que estica aos oito para a bateria.