A imposição de “valores europeus imaginários” é o “caminho mais rápido para o colapso” da UE

Primeiro-ministro da Eslovénia, país que sucedeu a Portugal na presidência do Conselho da União Europeia, mostra-se contrário às críticas à Hungria e deixa o aviso que sem a Europa Central “a UE não é uma união europeia”.

Foto
Reuters/POOL

O primeiro-ministro da Eslovénia, Janez Jansa, deixa já o aviso, ainda a procissão da presidência eslovena do Conselho da União Europeia vai no adro, para mostrar que, ao contrário de Portugal, que lhe acaba de entregar a pasta no dia 30 de Junho, o seu país não alinha nas imposições de “valores imaginários europeus” à Hungria. Se a UE for por esse caminho, o seu “colapso” será rápido.