Altice cobra 13 milhões para assegurar funcionamento do SIRESP por mais 18 meses

Prestações de serviços à sociedade anónima que opera a rede de comunicações de emergência terminaram esta quarta-feira e apesar de terem sido assinados novos contratos em meados de Junho, como ainda não há visto do Tribunal de Contas estes não são válidos. Foi necessário prorrogar temporariamente contratos que estavam em vigor para garantir manutenção do SIRESP.

Foto
No final de Maio, o Governo publicou uma portaria onde autoriza a SIRESP, S. A. a investir 31,9 milhões de euros até ao final de 2022 daniel rocha

A Altice, a antiga Portugal Telecom, vai continuar a fornecer os serviços necessários para manter em funcionamento o Sistema Integrado das Redes de Emergência e Segurança de Portugal (SIRESP), uma rede que pretende assegurar as comunicações entre diversas entidades em situações de emergência. A rede de comunicações foi lançada em 2006 no âmbito de uma parceria público-privada que implicou a assinatura de um contrato com a duração de 15 anos que termina a vigência esta quarta-feira.