Desavindos, William e Harry unem-se para revelar estátua de Diana

O 60.º aniversário da princesa, falecida em Agosto de 1997, assinala-se esta quinta-feira.

Estátua
Fotogaleria
Reuters/POOL
Estátua
Fotogaleria
Reuters/POOL
familia-real-britanica,inglaterra,monarquia,isabel-ii,reino-unido,europa,
Fotogaleria
Reuters/JOHN SIBLEY
Estátua
Fotogaleria
Reuters/POOL

O Sunken Garden (Jardim Afundado, numa tradução literal), no Palácio Kensington, em Londres, era um dos sítios preferidos da princesa Diana, cujo nascimento, a 1 de Julho de 1961,​ se celebra esta quinta-feira. Por isso, foi o espaço escolhido para, depois de uma intervenção, receber uma estátua em sua honra, revelada neste dia pelos seus dois filhos, os príncipes William e Harry, que, mesmo desavindos, se uniram na homenagem à mãe.

O evento, que se destaca por ser a primeira vez que os duques de Cambridge e Sussex se encontram desde o funeral do avô, o príncipe Filipe, conta com a presença do irmão de Diana, Charles Spencer.

Sobre a estátua, o palácio disse que o jardim tinha sido redesenhado para criar um cenário “mais reflexivo” para o memorial da princesa, que morreu num acidente de viação, em Paris, em 1997. “Este tem sido um projecto muito especial para trabalhar, uma vez que o Jardim Afundado era um dos locais favoritos de Diana, a princesa de Gales”, explicou Pip Morrison, que concebeu a nova configuração, numa declaração citada pela Reuters.

“Trabalhámos cuidadosamente para assegurar que a nova configuração​ e o esquema de plantação complementasse a estátua, proporcionando um lugar calmante para as pessoas que visitam o Palácio de Kensington se lembrarem da princesa.”

Os trabalhos no Jardim Afundado começaram em 2019 e implicaram 1000 horas para plantar mais de 4000 flores, todas entre as preferências de Diana, incluindo 100 miosótis (também conhecidas por não-me-esqueças) e 300 tulipas.

O jardim foi originalmente criado em 1908, por iniciativa do rei Eduardo VII, numa área anteriormente ocupada por vasos e estufas.

Diana dança com John Travolta num jantar da Casa Branca, em Novembro de 1985 Reuters
Diana posa com membros dos capacetes azuis franceses, em Agosto de 1997. Viajou para a Bósnia e Herzegovina com o intuito de chamar atenção para as vítimas das minas Ian Waldie/ Reuters
Carlos e Diana na varanda do Palácio de Buckingham, depois da cerimónia de casamento, em Junho de 1981 Reuters
Ao lado do Papa João Paulo II, numa visita ao Vaticano, em 1985 Reuters/Mark Cardwell
Diana com os dois filhos William, 6 anos, e Harry, 3, em Palma de Maiorca, em Agosto de 1987 REUTERS/Hugh Peralta
Diana com William, o filho mais velho, ao colo Kensington Palace
Diana, a rainha-mãe e Harry à saída do Palácio de Buckingham, em 1992 REUTERS/Kevin Lamarque
A famosa fotografia de Diana sozinha em frente do Taj Mahal, em 1992 REUTERS/Ulli Michel CMC
A princesa com o filho mais velho, William, em 1992 Dylan Martinez/ Reuters
De férias nas Caraíbas com os filhos, em 1993 Reuters/Mark Cardwell
Diana e Carlos, no Castelo de Windsor, em 1994 Kevin Lamarque/ Reuters
Nas galerias Serpentine, em Londres, em Junho de 1994 Simon Kreitem/ Reuters
Durante uma visita de quatro dias a Luanda, ao lado de Sandra Tigica, uma rapariga que perdeu a perna num ataque aéreo em 1994 José Manuel Ribeiro/ Reuters
Diana e Carlos com os dois filhos, durante o primeiro dia de William em Eton College, em Setembro de 1995 Dylan Martinez/ Reuters
Com o filho mais novo, Harry Kensington Palace
Ao lado do Presidente da Argentina, Carlos Menem, em Novembro de 1995 Dylan Martinez/ Reuters
Numa gala de angariação de fundos, em Setembro de 1996, ao lado de Ralph Lauren e Anna Wintour Mike Theiler/ Reuters
Num jantar de caridade, em Outubro de 1996 David Gray/ Reuters
Durante um evento do Commonwealth Day Council, na Austrália, em Novembro de 1996 David Gray/ Reuters
Na gala do Metropolitan Museum of Art, em Nova Iorque, em Dezembro de 1996 Reuters
Diana pega numa mina, durante uma visita a Angola, em Janeiro de 1997, a convite da Cruz Vermelha do Reino Unido José Manuel Ribeiro/ Reuters
Diana reúne-se com Nelson Mandela, na Cidade do Cabo, em Março de 1997 Juda Ngwenya/ Reuters
Retrato oficial da família real em Março de 1997 Reuters
Diana visitou Madre Teresa, no Bronx, em Nova Iorque, em Junho de 1997 Reuters
Ao lado de Elton John, no memorial a Gianni Versace, em Julho de 1997 Stefano Rellandini/ Reuters
Diana deu um discurso num evento anual de Centrepoint, uma instituição de beneficência do Reino Unido que tem como objectivo melhorar a vida de jovens sem-abrigo Michael Crabtree/ Reuters
À saída do ginásio, em Agosto de 1997 Kieran Doherty/ Reuters
À chegada de um almoço organizado pela Christie's, em Londres. Reuters
Ao lado de Hillary Clinton, na Casa Branca, em Junho de 1997 Reuters
A princesa a embalar uma criança com cancro, no Paquistão John Pryke/ Reuters
À chegada do National Museum of Women in the Arts, em Washington, para um jantar em homenagem às vítimas das minas terrestes. Reuters
Diana e Elizabeth Dole, presidente da Cruz Vermelha dos Estados Unidos caminham juntas, antes de uma conferência de impressa de apelo à proibição de minas terrestres Reuters
Fotogaleria

A princesa Diana faria, esta quinta-feira, 60 anos. E, mais de duas décadas após a sua morte, as suas imagens continuam a encantar. Afinal, chegou a receber o título de "a mulher mais fotografada do mundo".

Carla B. Ribeiro

Artigo actualizado às 16h00 com as imagens da revelação da estátua