Um tribunal com piscina também é “o Portugal real”: um mergulho na série Causa Própria

Na nova série da RTP e dos autores de Sul, Margarida Vilanova, Nuno Lopes, Rui Cardoso Martins e Edgar Medina fazem de um hotel de Cascais um tribunal de província e de um drama policial uma tragédia grega.

Foto
Margarida Vilanova e Nuno Lopes a filmar "Causa Própria" Ana Brigida/Arquipelago Filmes

As crónicas Levante-se o Réu, de Rui Cardoso Martins, revelaram muito do absurdo e do pungente que se passa nos tribunais portugueses, mas nelas não reza a história de um tribunal com turistas de biquíni à beira da piscina. Nas filmagens da série Causa Própria, a sala de audiências é assim: lá dentro, o interrogatório de uma jovem testemunha é solene, a advogada Maria Rueff exaspera-se e os juízes ditam as regras. Mas um deles é o próprio escritor e argumentista Rui Cardoso Martins e das grandes janelas do tribunal vêem-se os hóspedes de um hotel de luxo em Cascais a besuntar as provas do crime contra a pele antes de se estenderem ao sol. São retalhos da vida dos bastidores da televisão.