A inflação chegou aos 2%, mas o BCE diz que é cedo para recuar

A subida dos preços está a aumentar a pressão sobre o banco central para retirar as suas medidas de estímulo mais cedo do que o previsto, mas em Frankfurt ainda não há sinais de mudança de planos.

Foto
LUSA/ECB HANDOUT

Passados dois anos e meio, a taxa de inflação na zona euro voltou a 2%, o valor que serve de referência para o objectivo de estabilidade de preços do BCE. É um resultado que aumenta a pressão sobre a autoridade monetária europeia para reavaliar as suas políticas expansionistas, mas para já em Frankfurt a prioridade continua a ser evitar que uma escalada dos custos de financiamento coloque em causa a recuperação da economia.