Biden saiu melhor que a encomenda

Na política internacional, como na política interna, Joe Biden pode marcar o início da era pós-pandémica e da reinvenção necessária do capitalismo e da democracia.

Durante a campanha eleitoral muitos disseram que Biden estava cansado e fraco. Que seria um Presidente de transição e que não deixaria marca na política americana. A sua única função seria abrir o caminho à presidência de Kamala Harris. No fim do mandato ou, quiçá, a meio do próprio mandato. Enganaram-se, redondamente. E os 100 dias de Biden, Presidente, mostraram o contrário.