Contas de Facebook e Instagram de Donald Trump vão continuar suspensas

A decisão surge um dia depois de o ex-Presidente dos EUA ter lançado uma plataforma própria para comunicar com os seguidores.

Foto
Donald Trump lançou esta terça-feira plataforma própria para comunicar com os seguidores Reuters/Leah Millis

As contas de Donald Trump no Facebook e no Instagram não devem ser restabelecidas, disse esta quarta-feira o Conselho de Supervisão do Facebook. O comunicado surge depois de Trump ter anunciado que lançou plataforma própria para comunicar com os seguidores.

O Facebook suspendeu a conta do ex-presidente dos EUA após o ataque ao Capitólio, no dia 6 de Janeiro, quando uma multidão de partidários de Trump invadiu o Congresso, incentivados pelo ainda Presidente.

Trump foi inicialmente suspenso do Facebook e Instagram por 24 horas, como resultado de duas publicações em que elogiou as acções dos manifestantes. A empresa decidiu então a proibição do presidente “pelo menos até o final de seu mandato”.

“Os riscos de permitir que o Presidente continue a usar os nossos serviços durante este período são demasiado grandes”, justificou Mark Zuckerberg numa publicação no Facebook aquando da suspensão. “Por isso, vamos estender o bloqueio que pusemos nas contas [de Trump] no Facebook e Instagram por um período indeterminado.”

O Facebook foi das primeiras redes sociais a retirar um vídeo de Trump em que este elogiava os apoiantes que invadiram o Capitólio, ao mesmo tempo que lhes pedia para voltarem para casa, repetindo as acusações de fraude e falta de integridade das eleições presidenciais de 3 de Novembro.

O Twitter e o YouTube (da Google) seguiram o exemplo. No vídeo, Trump começa por dizer: “Conhecemos a vossa dor. Eu conheço a vossa ferida. Mas têm de ir para casa.” Classificou também os seus apoiantes como “muito especiais”.

Entretanto, Donald Trump, lançou na terça-feira um espaço no seu website onde pode publicar mensagens de texto. Estas notas podem depois ser partilhadas por outras pessoas no Twitter e no Facebook. A plataforma, que foi divulgada pela primeira vez pela Fox News, é apelidada de From the Desk of Donald J. Trump (Da secretária de Donald J. Trump) e contém publicações de Trump que podem ser partilhadas. Os utilizadores podem ainda deixar “gostos”, mas não podem comentar as publicações.

Uma fonte familiarizada com o assunto disse que a plataforma foi construída pela Campaign Nucleus, a empresa de serviços digitais criada pelo ex-gerente de campanha de Trump, Brad Parscale.