Greenvolt admite aquisição de projectos renováveis na Grécia e Polónia

A Altri e a Greenvolt celebraram acordo com a polaca V-R Europe, que poderá vir a tornar-se accionista da empresa liderada por João Manso Neto, se esta entrar em bolsa.

Foto
João Manso Neto é o presidente executivo da Greenvolt, antiga Bioeléctrica da Foz Daniel Rocha

A Altri e a sua empresa de energias renováveis, a Greenvolt, estão a negociar com a empresa polaca V-R Europe a aquisição de um conjunto de projectos de renováveis com 2800 megawatts (MW) de capacidade de produção, que poderá concretizar-se com a entrada em bolsa da empresa presidida por João Manso Neto.

Os grupos celebraram um “memorando de entendimento com natureza não vinculativa que materializará a internacionalização da companhia portuguesa de energias renováveis [Greenvolt]” adiantou a Altri, em comunicado divulgado nesta segunda-feira.

Com a perspectiva de uma entrada em bolsa desta empresa, a Altri admite que a “V-R Europe venha a realizar na Greenvolt, em simultâneo com o respectivo IPO [operação de entrada em bolsa], em termos ainda a definir, um aumento de capital social que poderá decorrer na modalidade de entradas em espécie”.

O aumento poderá ser “constituído pela totalidade das acções representativas do capital social e dos direitos de voto da sua subsidiária V-Ridium Power Group, por um preço de subscrição correspondente ao preço máximo do intervalo a ser estabelecido no âmbito da operação IPO da Greenvolt [a antiga Bioeléctrica da Foz]”.

A base de avaliação da V-Ridium corresponde “a 56 milhões de euros, ao qual poderão acrescer 14 milhões de euros mediante o cumprimento de objectivos a definir”, refere a Altri.

Segundo o grupo de Paulo Fernandes, a V-Ridium “é uma sociedade que opera no sector das energias renováveis com uma abrangência pan-europeia”. Tem em desenvolvimento “projectos eólicos e solares, maioritariamente na Polónia e na Grécia, com cerca de 2.800 MW” de potência, dos quais, “mais de 1.500 MW, se encontram em fase adiantada”.

“Por efeito da realização da subscrição, a Greenvolt passará a deter a totalidade do capital social e direitos de voto da V-Ridium, passando por sua vez a V-R Europe a ser titular de uma participação qualificada no capital social da Greenvolt, em percentagem determinável no IPO”.

Dada a natureza não vinculativa do memorando de entendimento, “e as condições suspensivas a que a operação se encontra sujeita”, não há certezas quanto à sua concretização, realça a Altri. Mas a V-Europe garante “exclusividade nas negociações com vista à conclusão desta transacção até 31 de Outubro de 2021”, acrescenta.