Só carenciados vão ter lugar na residência para filhos de funcionários públicos

Edifício que vai acolher alunos já no próximo ano lectivo estava devoluto e é propriedade dos Serviços Sociais da Administração Pública. Responsáveis do Superior apanhados de surpresa pelo anúncio. “Consternados”, estudantes do Porto ameaçam levar o assunto ao Tribunal Constitucional.

Foto
Paulo Pimenta

A residência estudantil destinada a filhos de funcionários do Estado que estudem em Lisboa, anunciada esta semana pela ministra da Administração Pública, vai acolher apenas alunos de famílias com baixos rendimentos e que vivam a mais de 100 quilómetros da capital.