Pintura de Paula Rego falha venda em leilão

O valor de The Aunt (Nada) estava estimado entre 920 mil e 1,38 milhões de euros, mas a obra atingiu aopenas 650 mil libras (747.500 euros) no leilão desta tarde em Londres.

Foto
Paula Rego fixou o seu recorde em 2015, quando vendeu uma obra por 1,6 milhões de euros ENRIC VIVES-RUBIO

A obra The Aunt (Nada), da pintora portuguesa Paula Rego, acabou por não ser vendida esta quinta-feira num leilão da Phillips, em Londres, após as licitações terem chegado apenas a 650 mil libras (747.500 euros), abaixo da expectativa mínima avançada pela leiloeira, que esperava arrecadar entre 800 mil libras (920 mil euros) e 1,2 milhões de libras (1,38 milhões de euros).

Num leilão que incluía pouco mais de 30 lotes, todos de arte do século XX e contemporânea, e que incluía obras de Alberto Giacometti, Frank Stella, Mark Rothko ou Banksy, a peça que atingiu um valor mais alto foi La Féconde Journée (1976), do pintor francês e teórico da arte bruta Jean Dubuffet. Estimada entre 1,5 e dois milhões de libras, acabou por ser arrematada por 3,6 milhões (cerca de 4,14 milhões de euros).

Aunt (Nada), que teve apenas cinco lances, retrata uma personagem do romance de estreia da escritora espanhola Carmen Laforet, Nada, originalmente publicado em 1944, e que retrata a Barcelona dos anos 40, sob o franquismo.

Foto
Aunt (Nada)

Esta obra foi incluída na retrospectiva da artista que viajou do Museu Rainha Sofia, em Madrid, para o Museu Nacional das Mulheres nas Artes, em Washington, em 2007-2008. 

Em Julho de 2015, um quadro de Paula Rego no qual a pintora aludia à morte do marido – Victor Willing, também ele artista, faleceu em 1988 – foi arrematado num leilão em Londres por 1,6 milhões de euros, estabelecendo um recorde para a artista portuguesa. Nesse mesmo leilão, uma outra obra da pintora, Looking Out (1997), ao contrário do que agora aconteceu com Aunt (Nada), ultrapassou largamente a expectativa máxima de 989 mil euros, tendo sido vendida por quase 1,4 milhões de euros. com Lusa

Notícia alterada: a obra não foi vendida, mas retirada após as licitações não terem atingido o valor mínimo estabelecido.