Covid-19: Portugal regista mais cinco mortes e 408 casos

O número de pessoas internadas baixou, mas a subida dos indicadores de transmissibilidade pode fazer com que o país chegue à zona de risco em duas semanas.

O país registou mais cinco mortes por covid-19 e 408 novos casos de infecção causados pelo coronavírus SARS-CoV-2. Há menos 20 pessoas internadas (num total de 459) e menos uma pessoa em unidades de cuidados intensivos (num total de 118).

Houve 746 pessoas que recuperaram da infecção no último dia. Ao todo, há 25.441 casos activos em Portugal. 

Os dados foram divulgados esta terça-feira no boletim epidemiológico da Direcção-Geral da Saúde (DGS), referente à informação recolhida durante a totalidade do dia de segunda-feira.

A maior parte dos novos casos foi registada na região Norte: foram 153 casos registados na segunda-feira e uma morte. Na região de Lisboa e Vale do Tejo houve três mortes e 137 novas infecções; o Centro registou 48 casos e uma morte; os Açores tiveram registo de 24 novas infecções, assim como o Alentejo; o Algarve registou 13 contágios e a Madeira teve nove casos no último dia.

As cinco mortes foram registadas em pessoas com mais de 70 anos. A taxa de letalidade da covid-19 em Portugal é de 2%. 

A matriz de risco foi actualizada na segunda-feira e dava conta de um ligeiro aumento tanto no índice de transmissibilidade como de incidência por cada 100 mil habitantes. O R(t) a nível nacional é de 1,04 e, no continente, é de 1,03. Já a incidência de casos de infecção do coronavírus SARS-CoV-2 por cada 100 mil habitantes a 14 dias é de 70 casos a nível nacional e 67,4 quando se analisa apenas os registos do território continental. Esta matriz de risco é actualizada às segundas, quartas e sextas-feiras.

Com o crescimento destes indicadores, Portugal pode chegar à zona de risco em duas semanas, segundo as previsões avançadas pelo especialista Baltazar Nunes, do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge, no ponto de situação sobre a pandemia feito esta terça-feira na sede do Infarmed, em Lisboa. O país poderá ultrapassar os 120 casos por 100 mil habitantes, afirmou, dizendo que também o índice de transmissibilidade tem registado um “aumento sistemático” nas últimas semanas.

Os especialistas revelaram ainda que tem havido um aumento de novos casos na faixa etária dos zero aos nove anos e que, em sentido contrário, o número de infecções em pessoas com mais de 80 anos diminuiu. Nos últimos 14 dias, houve também um “aumento expressivo nos mais jovens, dos 25 aos 55 anos”, revelou André Peralta Santos, da DGS. Nos lares, a vacinação começou a surtir efeitos: há apenas 121 casos activos, o “número mais baixo desde que há registos”, afirmou, durante a reunião de terça-feira.

O último balanço epidemiológico dava conta de que o país registou duas mortes por covid-19 e 271 casos de infecção.