Com subida de internamentos e cuidados intensivos, Portugal continua a aproximar-se da “zona amarela”

País registou duas mortes provocadas pelo SARS-CoV-2. Número de internamentos e doentes em cuidados intensivos cresce.

O país registou no domingo 271 casos de infecção por covid-19 e duas mortes provocadas pelo vírus SARS-CoV-2, mostra o boletim epidemiológico diário publicado pela Direcção-Geral da Saúde esta segunda-feira. Desde o início da pandemia, Portugal contabiliza 827.765 casos e 16.918 óbitos.

Com 70 casos, a região Norte foi a que reuniu mais infecções no domingo, seguida de Lisboa e Vale do Tejo, com 60 casos de SARS-CoV-2 detectados. Com um óbito cada uma, foram estas duas regiões que reuniram o total de mortes provocadas pela infecção no domingo.

Relativamente à matriz de risco que norteia a evolução do plano de desconfinamento, Portugal vê novamente crescer o índice de transmissibilidade do vírus, aproximando o país da zona amarela. O R(t) nacional é agora de 1,04, uma ligeira subida face à mais recente avaliação deste indicador, realizada na sexta-feira, que apontava para um valor a rondar os 1,02. A incidência nacional fixa-se nos 70 casos por 100 mil habitantes, uma subida face aos 65,7 casos da última avaliação. 

O número de internamentos no domingo sofreu um aumento: há 479 pacientes a receberem cuidados médicos no combate à infecção. Deste número, 119 estão em unidades de cuidados intensivos, com o número de casos mais graves a subir (mais seis) em relação ao número divulgado no sábado.

Foram dadas como recuperadas 445 pessoas este domingo. No total, foram registados 785.063 desde o início da pandemia.

Existiu ainda uma redução do número de casos activos, menos 176 do que no sábado. Há neste momento 25.784 infecções activas no país. 

Nota de correcção: o número de novos casos no país no domingo foi de 271 e não de 219, como constava no título desta notícia. O erro foi corrigido logo após a publicação.