Covid-19 em Portugal: mais sete mortes e 280 casos. Internamentos descem

O país tem agora 512 pessoas hospitalizadas. Centro, Alentejo, Algarve e ilhas não registaram mortes nas últimas 24 horas. Os dados, referentes à totalidade do dia de sexta-feira, foram divulgados este sábado pela DGS.

Portugal registou mais sete mortes e 280 novos casos de covid-19. No total, desde o início da pandemia, o país soma 823.142 casos confirmados e 16.875 vítimas mortais. Os dados, referentes à totalidade do dia de sexta-feira, foram divulgados este sábado pela Direcção-Geral da Saúde (DGS).

Há menos uma pessoa hospitalizada, num total de 512 doentes internados. Os dados da DGS dão ainda conta de 126 internamentos em Unidades de Cuidados Intensivos (UCI), menos cinco do que no último balanço. O número total de doentes internados é o mais baixo desde 20 de Setembro, altura em que estavam hospitalizadas 511 pessoas.

Há ainda a reportar mais 318 doentes recuperados, num total de 779.973 pessoas recuperadas da doença desde Março de 2020. Excluindo estes casos e os óbitos, há 26.294 casos activos em Portugal, menos 45 do que no dia anterior.

Vítimas mortais tinham todas mais de 60 anos

De acordo com a DGS, a maioria das infecções verificaram-se em Lisboa e Vale do Tejo: mais 95 casos, num total de 312.044 desde Março de 2020. O Norte somou 73 novos casos e continua a ser a região com mais infecções acumuladas desde o início da pandemia, com 331.075. O Algarve registou mais 48 casos, totalizando 20.822. O Centro somou 19, com um total de 117.296. No Alentejo há mais 18 casos, totalizando 29.159. A Madeira reportou mais 17 infecções (8660 ao todo) e os Açores mais dez (4086 no total).

Seis das vítimas mortais foram notificadas em Lisboa e Vale do Tejo e uma no Norte, tinham todas mais de 60 anos. No Centro, Alentejo, Algarve e nas ilhas não morreu ninguém. 

O país mantém-se na zona verde da matriz de risco. Os quadrados da matriz ditam o avanço (ou recuo) das diversas fases do desconfinamento e combinam a incidência do vírus (o número de casos por cada 100 mil habitantes) com o índice da transmissibilidade, o R(t) (o número de casos de infecção a que uma pessoa com covid-19 dá origem). Se os indicadores permanecerem na área verde, o desconfinamento poderá continuar avançar, mas se o país chegar à zona amarela ou vermelha, a reabertura da sociedade e da economia poderá ser travada ou revertida.

De acordo com a DGS, os valores da matriz de risco são iguais aos desta sexta-feira uma vez que são actualizados às segundas, quartas e sextas-feiras. Nesse sentido, o indicador R(t) (o índice de transmissibilidade) é, actualmente, de 0,97. Já a incidência a 14 dias por cem mil habitantes situa-se nos 65,6 casos de infecção por cada 100.000 habitantes.