São de respeito os espargos bravos: é preciso respeitá-los

Não me venham com a história que quaisquer espargos servem. Não, não servem. Os espargos bravos são como as urtigas e como os lagostins: não se deixam cultivar. Existem por graça de Deus. São difíceis de encontrar, difíceis de apanhar, difíceis de gostar e, já agora, difíceis de cozinhar bem.

Foto
EKATERINA FEDULYEVA/GETTY IMAGES

As primícias ligam pouco à Primavera. Há Fevereiros em que aparecem as primeiras nêsperas com o primeiro açúcar do ano. E há Fevereiros como este, com muita chuva seguida de clareiras de sol descarado, em que são outras delícias que nos aparecem.