Já pode partir à descoberta do Centro de Portugal sem sair de casa

Em tempo de confinamento, alguns dos principais atractivos da região fazem-se à Internet e vão ao encontro dos turistas. O objectivo? Alimentar a vontade de um regresso ao Centro, assim que a pandemia o permita. Tanto com podcast como com muitas histórias e roteiros.

Foto
Praia Fluvial da Peneda, Góis MARIO AUGUSTO CARNEIRO

Ao longo das próximas semanas, e até finais de Abril, sinta-se convidado para partir à descoberta de alguns atractivos turísticos da região Centro. Museus, lugares património da humanidade, roteiros vinícolas ou até jardins históricos, vão agora poder ser visitados de forma digital e a convite do Turismo Centro de Portugal (TCP). O objectivo passa por levar as pessoas a conhecer a região de forma virtual, numa altura em que não podem sair de casa, estimulando um regresso, assim que ele for possível.

Basta estar atento ao site da TCP e acompanhar a iniciativa intitulada #CentrodePortugalonline, que prevê a publicação de artigos alusivos a vários destinos que podem ser visitados de forma digital. A primeira publicação foi feita esta terça-feira e é dedicada aos museus do Centro de Portugal que disponibilizam visitas virtuais. “A ideia passa por publicar novos artigos todas as semanas”, avança Adriana Rodrigues, da TCP, a propósito da série que conduzirá os turistas através dos lugares Património da Humanidade, adegas, festivais virtuais e jardins históricos, entre outros.

Com o mesmo propósito de levar os atractivos do Centro ao encontro dos turistas, está a ser produzido um podcast semanal “que dá voz aos protagonistas da região”, destaca a entidade turística. Este programa de rádio online conta com a colaboração de figuras conhecidas, e que estão de alguma forma ligadas à região, tendo o cantor André Sardet sido o convidado especial do episódio mais recente. Seguem-se nomes como o de “Marco Horácio, que é natural de Vieira de Leiria, e o Toy, cujos pais são de Mangualde”, desvenda Adriana Rodrigues. “São eles que nos apresentam algumas sugestões e roteiros na região”, acrescenta.

Também no âmbito destas actividades – segundo o TCP, o que está em causa “não é uma campanha”, mas sim um conjunto de iniciativas - a entidade turística tem disponibilizado no seu site a rubrica “Os melhores sítios do Centro de Portugal para...”. Como o nome indica, são sugeridos destinos na região para diversas finalidades: os melhores sítios “para chorar de alegria, emoção ou saudade”, “para respirar a plenos pulmões”, “para namorar, beijar ou fazer o pedido de casamento” ou “para aliviar o stress e manter a boa forma” são alguns exemplos.

“Estas iniciativas recentes são uma resposta possível para mitigar as saudades que os seguidores do Turismo Centro de Portugal têm de visitar a região, saudades que expressam nas nossas redes sociais”, justifica Pedro Machado, presidente da entidade turística.