Portugal será um dos primeiros países a permitir inseminação post mortem

Há alguma experiência internacional, mas não muita. Em Espanha é permitida desde 2006 e em França, que discutiu uma nova lei da bioética no ano passado, a proposta para a legalização foi chumbada.

Foto
Fertilização in vitro Nuno Ferreira Santos

A discussão sobre inseminação post mortem intensificou-se no Parlamento português em 2020, quando há muito que se discutia no mundo. Mas o atraso pode estar prestes a ser recuperado. Se a legislação avançar no sentido proposto pelos diplomas já aprovados pela esquerda parlamentar, pelo PAN, pela IL e pelas duas deputadas não inscritas, Portugal estará entre os primeiros países no mundo a permitir esta técnica.