Na inseminação post mortem as crianças também têm direitos a salvaguardar

Em causa, nestes eventuais processos de procriação medicamente assistida, não podem ficar o direito à filiação e os direitos sucessórios.

Foto
Paulo Pimenta

Nem só a vontade dos progenitores conta. Os direitos da criança também entram no debate sobre inseminação post mortem. Os filhos póstumos, como os outros, devem ter nome de pai e outros direitos.