O livro de Kazan e de Losey

Foto
Hulton Archive/Getty Images

A televisão facilmente “é ridícula” e como o ridículo é a outra face do trágico sei porque é que me lembrei desta afirmação de Elia Kazan, quando o cineasta falava sobre o seu filme A Face in de Crowd (1957) ao crítico Michel Ciment (conversas que os dois mantiveram nos anos 70).