Segundo maior aumento de internamentos por covid-19. Mais 102 mortes e 7502 novos casos em Portugal

Há 3770 pessoas hospitalizadas, mais 215 que no dia anterior, uma subida apenas inferior à registada a 2 de Abril. Em unidades de cuidados intensivos estão 558 doentes.

Portugal registou mais 102 mortes por covid-19 no sábado, de acordo com o boletim epidemiológico da Direcção-Geral da Saúde deste domingo. É o terceiro dia consecutivo com mais de uma centena de mortes devido ao vírus SARS-CoV-2. O relatório de situação actualizado dá conta de 7502 novos casos durante o dia de sábado.

O número de vítimas mortais sobe assim para 7803 e o total de infectados ascende a 483.689 desde o início da pandemia.

Os internamentos por covid-19 aumentaram pelo nono dia consecutivo e continuam a atingir valores recorde que pressionam cada vez mais os serviços de saúde. Há mais 215 pessoas hospitalizadas que no dia anterior, o segundo maior aumento registado em Portugal, apenas inferior à subida de 2 de Abril (mais 316, na altura para um total de 1042 internados). Há também mais 18 doentes em unidades de cuidados intensivos.

No total estavam no sábado internadas 3770 pessoas, 558 das quais em UCI – valores máximos para cada um dos indicadores. Desde o Natal, o número de hospitalizações já aumentou 37,9%; o de doentes em unidades de cuidados intensivos subiu 10,7%.

Há mais 3028 pessoas recuperadas, aumentando o total de recuperações no país para 369.108. Excluindo estes casos e os óbitos, há 106.778 casos activos em Portugal, mais 4372 do que no dia anterior.

O número de mortes notificado no boletim deste domingo é apenas inferior aos valores dos últimos dois dias: o máximo registado até agora foram as 118 mortes, na sexta-feira, seguidas das 111 deste sábado.

A taxa de letalidade global é de 1,61%, subindo para 9,77% nos casos de infectados com 70 ou mais anos. Neste grupo etário encontra-se 88% das vítimas mortais (6860 das 7803).

O número de casos reportados no boletim deste domingo quebra com uma sequência de quatro dias consecutivos com mais de nove mil infecções. A descida pode ser explicada por serem dados relativos ao dia de sábado e os valores serem mais baixos durante o fim-de-semana. Ainda assim, o registo é o sexto mais alto desde o início da pandemia, apenas ultrapassado pelos quatro dias anteriores (de 6 a 9 de Janeiro) e pela contagem de 31 de Dezembro.

Lisboa e Vale do Tejo foi a região com mais infecções identificadas, com 2752. Segue-se o Norte, com 2600 casos. As duas regiões juntas acumulam 71,3% dos novos casos e 64,7% das vítimas mortais.

No sábado foram ainda identificados 1362 novos casos e 25 vítimas mortais no Centro, 373 casos e sete óbitos no Alentejo, 285 infecções e quatro mortes no Algarve, 67 casos na Madeira e 63 nos Açores.

Desde o início da pandemia, a região Norte acumula 3463 óbitos e 234.903 casos, máximos regionais em Portugal. Seguem-se Lisboa e Vale do Tejo, com 2728 mortes e 158.395 casos; a região Centro, com 1169 mortes em 60.922 infecções; o Alentejo, com 315 vítimas mortais em 14.777 casos; o Algarve, com 88 mortes em 10.195 casos de infecção; os Açores, com 22 mortes e 2417 casos; e a Madeira, com 18 mortes e 2080 infecções.