Taxas de juro da dívida da TAP estão acima dos 10%

Ao longo de 2019, a TAP foi pagando dívidas aos bancos e financiando-se através da emissão de obrigações, nomeadamente junto de pequenos investidores, trabalhadores incluídos. Agora, esses títulos têm um risco que está bem patente no prémio pedido no mercado secundário, faltando saber se Bruxelas vai penalizar ou não os obrigacionistas.

Foto
Reuters/Regis Duvignau

O aviso estava lá: cada investidor devia ter “recursos financeiros suficientes e liquidez que permitam suportar todos os riscos inerentes a um investimento nas Obrigações TAP 2019-2023”. Não eram letras miudinhas, mas estavam em uma das 1057 páginas do prospecto da oferta pública de subscrição (OPS) de dívida da empresa, colocada em Junho de 2019 junto de pequenos investidores (retalho), incluindo trabalhadores e clientes do programa de milhas aéreas da transportadora.