O spa é português, a massagem é oriental, e o prémio internacional

Com dois espaços abertos em Lisboa, no Ponha Aqui o Seu Pezinho pode receber uma massagem aos pés típica da Ásia, mas com fado como música ambiente. O negócio, que nasceu em 2017, recebeu o prémio Best Unique Experience Spa in Portugal 2020, dos International Travel Awards.

saude,guimaraes,lisboa,tailandia,macau,asia,
Fotogaleria
saude,guimaraes,lisboa,tailandia,macau,asia,
Fotogaleria
saude,guimaraes,lisboa,tailandia,macau,asia,
Fotogaleria

Um dia, numas férias no Camboja, em 2015, depois de visitar os templos de Angkor, Vanessa Amaro e Gonçalo Lobo Pinheiro sentaram-se num espaço onde se faziam massagens aos pés, e assim nasceu a ideia. “E se abríssemos um negócio em Portugal que fosse muito asiático?” Dois anos depois, nascia o Ponha Aqui o Seu Pezinho, um spa de massagens aos pés que actualmente tem dois espaços em Lisboa. No final do ano, o casal foi surpreendido com a boa nova: o seu negócio recebeu o prémio Best Unique Experience Spa in Portugal 2020, dos International Travel Awards.

O casal vive em Macau desde 2010. Vanessa Amaro, 39 anos, é professora universitária; e Gonçalo Lobo Pinheiro, 42 anos, é fotojornalista. Nenhum tinha experiência em gestão, mas mesmo a milhares de quilómetros de distância — continuam a viver no Oriente —, decidiram arriscar numa experiência asiática, mas com um toque lusitano. É que a juntar às massagens a música ambiente é o fado, normalmente instrumental. “O nosso conceito tem quatro anos, mas continua a ser inovador, porque não se prestava tanta atenção a estas massagens nos pés”, declara a proprietária. “Vencer o prémio é um grande reconhecimento e significa que valeu a pena investir. Estamos mais motivados para abrir novos espaços”, acrescenta. 

Foto

O primeiro abriu em Guimarães, em 2017, com o negócio direccionado para os turistas. Mas cedo, o casal percebeu que os locais eram os clientes mais frequentes. Entusiasmados, no ano seguinte abriram em Lisboa, no bairro de Alvalade. Em 2019, encerraram o espaço de Guimarães; e no início de 2020 decidiram abrir mais uma loja em Lisboa, desta vez nas Laranjeiras. O próximo será ainda este ano, também na capital.

“Sabemos que em Portugal o conceito não é para todos os bolsos, que ainda é visto como um pequeno luxo, ao contrário do que acontece na Ásia”, justifica Vanessa Amaro. A oferta passa por mais de duas dezenas de massagens diferentes que em comum têm os pés, mas há combinações, como, por exemplo, pés, mãos e ombros. O tempo de massagem é variável, a média é de 45 minutos por sessão. Os preços começam nos 25 euros e há planos mensais que variam entre os 69 e os 399 euros. 

Na Ásia, estas massagens são utilizadas “para prevenir doenças ou detectar alguns sintomas iniciais”, funcionando também como “relaxamento” e na “ajuda no tratamento” de patologias, mas nunca como cura, salvaguarda a proprietária. A “prata da casa” é a reflexologia — o terapeuta pressiona determinados pontos do pé, que esta terapia não convencional defende estarem ligados a determinados órgãos. Na loja de Alvalade há quatro terapeutas e na das Laranjeiras são seis, com formações que vão da medicina tradicional chinesa à naturopatia, passando pela aromaterapia. Além disso, têm formação dada por um português formado na Tailândia.

Foto

Oito em cada dez clientes são mulheres. Devido à pandemia, é necessário fazer marcação prévia e todas as exigências definidas pela Direcção-Geral da Saúde são respeitadas. Assim, depois de o cliente definir qual é a massagem que quer receber, é-lhe proposto a escolha de um óleo (cada um tem um fim terapêutico diferente), os pés são desinfectados e massajados com a ajuda do óleo, enquanto se bebe um chá asiático ao som da música ambiente, o fado.

Texto editado por Bárbara Wong