Covid-19: há mais 10.027 infecções em Portugal, o maior valor diário de sempre

O maior valor diário registado até agora era de 7627 infecções num dia. O número de casos diários tem tido uma tendência crescente desde finais de Dezembro. Morreram 91 pessoas com covid-19.

Há 10.027 novos casos de infecção pelo coronavírus SARS-CoV-2 em Portugal – o novo máximo diário de casos registado no país desde o início da pandemia.

O último recorde de casos diários tinha sido registado a 31 de Dezembro, quando se contavam 7627 infecções. Os especialistas tinham avisado que era expectável que o período de Natal e Ano Novo se traduzisse num aumento de casos – e, posteriormente, numa subida de óbitos e internamentos – e também de pressão nos hospitais.

O boletim epidemiológico da Direcção-Geral da Saúde (DGS) dá ainda conta de que morreram 91 pessoas com covid-19. Houve 34 mortes no Norte; 27 óbitos em Lisboa e Vale do Tejo; 15 mortes no Alentejo; 14 no Centro e uma no Algarve. Foi o terceiro dia com mais mortes, depois das 95 registadas a 11 de Dezembro e das 98 registadas a 13 de Dezembro. No dia 16 de Novembro também foram reportadas 91 mortes.

Este é o quinto dia consecutivo com um aumento do número de hospitalizações: deram entrada nos hospitais mais 33 pessoas em relação ao dia anterior (são agora 3293 pessoas internadas) e entrou mais uma pessoa infectada em unidades de cuidados intensivos (num total de 513).

Valor superior às previsões

Dos 10.027 casos registados nesta quarta-feira (mas referentes à totalidade do dia de terça-feira), o Norte foi a região com mais infecções detectadas: 3857. Segue-se Lisboa e Vale do Tejo, com 3333 casos; o Centro tem 1932 casos; o Alentejo tem 439 novos casos; os Açores têm 107 infecções e a Madeira tem 52 infecções. Há 3115 pessoas que recuperaram da infecção, o que faz com que haja 87 mil casos activos em Portugal.

Este valor superior a dez mil casos num dia ultrapassa até as previsões traçadas para os próximos dias pela ferramenta desenvolvida pelo Instituto de Saúde Pública da Universidade do Porto (ISPUP), que previa 8506 novos casos para o dia 11 de Janeiro. O cálculo era feito com os dados fornecidos nos boletins epidemiológicos da DGS.

Os peritos de saúde pública tinham já alertado que o alívio de restrições em Portugal na altura das festas (comparado com outros países europeus) poderia ter implicações no aumento de casos nas primeiras semanas de Janeiro. Até o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, disse estar preocupado com a evolução da pandemia em Portugal e admitiu que pode ter havido “laxismo” no Natal e Ano Novo – e que tal poderia levar a um “galopar” dos números.

O número de casos diários tem vindo a aumentar desde 26 de Dezembro. Após o registo de 7627 novos casos, houve uma quebra no primeiro dia do ano, com 3241 casos confirmados e, desde aí, o número de novos casos continuou a subir. O número de casos nesses dias pode ter sido inferior por ter havido feriados durante a semana – o valor diário tende a ser menor nos dias a seguir aos feriados e fins-de-semana.

O estado de emergência deverá ser renovado até dia 15 de Janeiro nos mesmos moldes em que vigorou no último mês, e o Governo deverá anunciar as medidas nesta quinta-feira, após reunião do Conselho de Ministros.

Na terça-feira foi divulgado que tinha havido mais 90 mortes e 4956 novos casos.