A eterna adolescência americana

A Escola de Topeka, de Ben Lerner, é uma viagem à infância dos novos/velhos extremismos numa cidade do Midwest.

Foto
O mais ambicioso e certeiro exercício do escritor de 41 anos Raphaël GAILLARDE/Gamma-Rapho via Getty Images

“A América é uma adolescência sem fim”, diz uma das personagens do terceiro romance de Ben Lerner, um livro onde o autor de Living the Atocha Station (2011) e 10:04 (Teorema, 2015) sai da sua autobiografia meio ficcionada e olhar cínico quanto à relação individual com o mundo para captar o sentido de um colectivo a partir de uma viagem aos anos em que foi adolescente numa cidade do interior americano, em pleno Kansas, vendo nesse tempo histórico a semente que levou ao estado actual das coisas.