Grada Kilomba: “Foi um ano em que a nossa história de exclusão ficou exposta. Mas foi também um ano de mudança”

Para a artista e escritora, o ano fica marcado pela forma como a pandemia expôs desigualdades, mas também pela energia transformadora de movimentos como o #BlackLivesMatter.

Foto
DR

Artista interdisciplinar, escritora, teórica e professora, residente em Berlim, a portuguesa Grada Kilomba começa por falar pausadamente. Depois, os temas que a absorvem (a memória, os traumas coloniais, a experiência negra, as vozes silenciadas, a linguagem, o racismo, as questões de género) vão sendo introduzidos e agita-se, sem nunca perder o fio à meada, mostrando uma inspiradora crença nas novas gerações e no futuro que está a chegar.