Um bom vinho para esquecer o sofrimento e a vergonha

Se este ano tivermos Natal, vou querer beber um bom vinho. Pode ser da Bairrada, do Douro ou do Alentejo. Até pode ser estrangeiro. Um bom vinho apenas. Um vinho que alegre a refeição e nos ajude a superar o sofrimento.

Foto
ADRIANO MIRANDA

Prometo que esta crónica é sobre vinho e o que beber no Natal. Aliás, teria de ser mesmo sobre vinho, porque é cada vez mais difícil viver sem vinho. Só o vinho nos pode salvar deste ambiente pandémico-depressivo e, já agora, da vergonha que todos deveremos estar a sentir com a morte do cidadão ucraniano nas instalações do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) no Aeroporto de Lisboa.